sábado, 6 de março de 2010

Inércia de Movimentos...

Poderia ser mais um sábado como outro qualquer...Daqueles nos quais acordamos, ligamos nossa TV e perdemos bastante do nosso precioso tempo sem fazer absolutamente nada à não ser olhar para uma tela imóvel e nós, assim como ela, também restamos imóveis, sem atitude alguma; mas juro, foi diferente.

Era mais uma história desses reality shows que insistem em não querer sair do ar...Um rapaz e sua família inteira tem a oportunidade de mudar de vida com a reconstrução de seu lar, semi-destruído por empreiteiros inescrupulosos,ah, um detalhe importante: o personagem principal dessa história é tetraplégico( alguém aí deve ter lembrado da história de uma "certa novela", não é mesmo?!) e era também um grande jogador de basquete.

No dia em que precedia o último jogo no qual iria competir em busca do título principal de sua cidade, ele foi atingido por quatro, é isso mesmo, quatro tiros e o que aconteceu logo após?Um simples pedido:"Desculpe, foi o cara "errado,você precisa de ajuda?"...Foi o bastante para me motivar à voltar para minhas reflexões..Tantas outras vezes já pensei, avaliei diversos temas em busca de uma falsa inspiração..Garota boba essa, não acham?!Não é difícil perceber que o nosso próprio dia-a-dia nos traz inspiração suficiente para reflexões no mínimo, sensatas, chegando ao patamar de serem inteligentes...

Tomemos como exemplo prático esse, o do nosso ex-jogador de basquete.Ele luta para ter sua independência de novo se utilizando de todas as ferramentas possíveis e às vezes, até das impossíveis...E por quantas vezes nos sentimos iguais à ele? Achando que nada mais tem solução, esperando em nossas inertes "cadeiras de rodas".Se pareço louca? Talvez..Falo isso porquê em muitas ocasiões esperamos que soluções de problemas literalmente, "caiam do céu"; ficamos sentados, imaginando que estamos em "cadeiras de roda invisíveis",sem poder mover mãos,pés,até nossa própria cabeça, a qual não pára de pensar,avaliar,porém o medo de consequências indesejadas nos paralisa, congela, como aqueles que não mais possuem a chance de se mover...

Chega um dia em que precisamos sair desse estado:levantar da cadeira de uma só vez?Não aconselharia...A queda pode ser muito mais dolorosa..Mas que tal se à cada dia,esticarmos um pouco mais nosso braço, usar nossa voz, dar um passo mais curto para ter a segurança devida no momento daquele passo mais largo?

Nos últimos tempos, tenho me sentido assim,dando um passo de cada vez.Qual o primeiro movimento que recuperei? A fala..Passei anos e anos só ouvindo, absorvendo, aguentando,parecia que havia perdido a voz, mas aos poucos, dia após dia,ela se escuta cada dia mais clara,límpida, sem arranhões..Meu segundo movimento recuperado: o das mãos, elas eram praticamente imóveis, pareciam não obedecer aos comandos do meu mestre maior,minha consciência..Querem mais uma prova de que a inércia pode ser modificada? Aí está: comecei à me levantar da minha cadeira e ainda estou recuperando os movimentos das pernas, estas realmente precisavam de um empurrãozinho a mais, andavam extremamente preguiçosas, mas estão começando à reagir-até que enfim, não acham?!

O caminho ainda é longo,pés ainda vão encontrar algumas pedras mais a frente, mas nada que um bom sapato não possa proteger e tirá-las, com delicadeza e sabedoria, elas certamente irão contruindo o castelo que forma a história de todos nós...Ah, quase ia me esquecendo de uma parte de meu corpo que andava adormecida, mas que nos nossos sonhos,ela nunca deixou de existir: asas,para que permitir que nossos sentimentos e ações nos guiem às melhores estradas de nossas realizações..Então, querem um conselho? Deixem as asas crescerem, mas não se esqueçam de manter cautela,para que o pouso seja tranquilo e seguro,sem marcas profundas em nossa alma, nossos corações.

Abraços à todos!