quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Renovar os ânimos!

Acho que uma das melhores coisas que existem é renovar os ânimos.Buscar nas coisas mais inusitadas aquele "gás" que faltava pra recarregar as baterias já meio esvaziadas perto desse fim de ano.É tão bom quando se sente aquele arrepiozinho,aliás, hoje em dia é tão difícil encontrar alguém que faça sentir isso em dias em que todos nós vivemos tão apressados que sequer sobra tempo pra essas coisas.É tudo tão no estilo "fast": "fast-food", "fast- friendship".Tudo é uma corrida no tempo,ninguém tem tempo mais para aproveitar aquela boa companhia dos amigos, ou se tem é sempre naquela velha desculpa:"já tô atraso,tenho que ir",outro dia a gente se fala".Pois então eu prefiro ir na contramão dessa tendência.Enquanto todos vivem ultra apressados, só na obrigação de cumprir prazos e etc, eu prefiro ter tempo para os meus amigos e assim, conseguir "recarregar as minhas baterias", baterias que podem ser trocadas com os amigos, os quais na maioria das ocasiões, não há tempo suficiente para um "como vai", "faz tempo que a gente não se vê".Bom saber que apesar dessa tendência individualista,ainda existem pessoas como eu,as quais prezam por preservar a beleza da amizade, mesmo aquela cultivada à distância;aliás, bom assunto esse das amizades à distância..Parece que esses amigos são os que mais se preocupam com a gente, claro que isso não é uma regra, mais uma vez lá vem o tal do "não tenho tempo" no meio do caminho..Essa semana foi de resgate, de renovar as energias reencontrando pessoas que não sabia notícias há bastante tempo..Poderia me utilizar desse espaço do blog pra falar de amenidades,sobre roupas, e é claro que como qualquer outra moça da minha idade me interesso por isso,porém de uma maneira diferente,encarando esses detalhes como simples detalhes e vendo as minhas amizades como parte de minha base, minha estrutura.E é justamente isso que meus amigos são: minha base, minha estrutura.Não espero que esse post tenha aprovação de todos, mas com certeza, as palavras aqui saíram com a leveza com que sopra o vento e com a sinceridade das palavras de uma criança.E assim,espero que consigam renovar os ânimos e mais uma vez: obrigada meus amigos por existirem e fazerem de mim uma pessoa melhor.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Fim de ano,já?!

É, parece que esse ano passou bem mais depressa, pelo menos bem mais que os outros.Não sei se vocês perceberam, mas foram tantos acontecimentos num ano que dia desses tava começando.E todo dia 31 de dezembro a gente faz planos, faz aquelas velhas promessas de sempre, tipo: ano que vem vou estudar mais, vou fazer uma dieta, vou arrumar um namorado(a)-essa daí diga-se de passagem anda bem complicadinha de ser cumprida-.A verdade é que essa é a maravilha de quando chega esta época,embora muita gente seja cética à ponto de dizer que esse clima de bondade, de união familiar é pura utopia.Talvez até seja, mas a simples idéia de "reeditar" os planos de mudanças a cada fim de ano que se aproxima já é algo muito bom à ser dito.Afinal, essa esperança "que teima" em voltar à bater em nossas portas e nos fazer repensar certas atitudes ou ainda mais, certas "não-atitudes", coisas que poderíamos ter feito e não fizemos, como abraçar alguém que gostamos, procurar por um emprego que te valorize e até mesmo rir daquela piada boba, sem graça que teu amigo te contou, nem que fosse só pra "dar aquela força" num futura carreira de ator humorístico.Ihh, será que meu blog tá virando livro de auto-ajuda!?Ou será que eu mesma sou o que se chama de um livro de auto-ajuda ambulante?Tem momentos na nossa vida em que só sabemos reclamar, falar do que de ruim aconteceu, da comida que queimou, do vestido que rasgou...Acho que o mais importante é comemorar, celebrar que tudo isso acontece.Certamente, o mundo seria uma chatice se só vivessemos com coisas certinhas, nos seus mínimos detalhes,uma frase muito interessante que vi em um filme(é, sou cinéfila mesmo!) é quando a protagonista chega pra mãe e pergunta: "mãe, você se arrepende de alguma coisa que fez no passado?" e a mãe dela responde:"não filha, acho que não me arrependo de meus erros.Afinal, como eu poderia saber qual o certo se eu não tivesse errado?".Essa fase de fim de ano é ótima por isso: a gente pensa que se por acaso erros foram cometidos, acertos mais à frente podem ser percebidos."Nossa, até rimou, ficou bonitinho né?É, de vez em quando acho que minha mente se inspira, será que é por causa do tal "Fim de ano"?É,tomara que sim.

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Colcha de Retalhos..

Sabe aquele dia que você não sabe do que exatamente falar?E acaba falando um pouqinho de cada coisa?Pois bem, o dia então é hoje..E cada pouquinho que fala vai construindo uma História, a sua história.Depois de ter passado da fase de lagarta, de bicho da seda,pupa( sei lá mais o q é isso, acho que vi em Ciências..to ficando velha mesmo!) e finalmente, borboleta, é, fica uma versão assim meio poética pra explicar algumas semanas atrás.A borboleta tá tentando, aos poucos, sair, dar os primeiros vôos em busca de seu próprio caminho, tá complicando as coisas um pouco além do normal, mas pode fazer isso.Um outro assunto interessante à ser falado é o simples fato das pessoas banalizarem tanto a violência.Cheguei a me indignar vendo um noticiário ontem pela tv onde uma moradora de um bairro nobre do Rio "rir" da atuação da Polícia, ao comentar que enquanto eles detinham um assalto, outro acontecia ao mesmo tempo, à 100,200 m dali,como isso é possível?Simples.Acredita-se que é uma situação imutável, não há como encontrar uma solução à longo prazo.E como será possível conseguir viver em uma praça de guerra na qual se transformou a cidade do Rio de Janeiro?É, muita coisa tem de mudar nesse país mesmo, à começar pela percepção do conceito de violência, que não é o estado normal das coisas.Um assuntinho interessante, pra amenizar um pouco o estilo blog-revolta de hoje:coração..eita assuntinho complicado.Acho mesmo que to precisando gostar "de verdade" de alguém e o fato é que não acho certo estar com uma pessoa só pra agradar a quem quer que seja, tomara que não seja só eu quem pense assim.Duas são as vantagens, aliás, dos dois lados da moeda, sempre se enxerga o lado bom e o ruim: o bom é que é sempre bom ter alguém perto, que faça seu coração bater mais rápido e mais lento ao mesmo tempo( parece frase de filme né?!), que vire tudo "de cabeça pra baixo", mas o lado opossto é que também é bom o coração ficar quietinho,sem criar falsas expectativas.Mas não seria um pouco de falta de coragem não se deixar aventurar um pouco, quando se sente o coração "bater mais depressa", diria mais, até um pouco de acomodação mesmo..Amor não explica, não se mede, ele simplesmente acontece, cabe a nós permitir que ele entre, sem epdir licença e preenchendo a vida de mais alegria,esperança de dias melhores nesse mundo tão louco e ao mesmo tempo, tão maravilhoso.Que o dia de hoje seja melhor pra O QUE MAIS INTERESSA NO MUNDO: conservar a Vida,em todas as suas medidas.

sábado, 24 de novembro de 2007

Mudanças..

Começo o post de hoje falando de mudanças e a primeira que posso dizer foi o nome do próprio blog..Acho que o outro não despertava muita atenção, talvez o fato de ter "muitas histórias" pra contar tenha mudado minha opinião.E falando em mudar, porque será que o ser humano, ou pelo menos uma parte deles, é tão avesso às mudanças?Será que porque mudar exige que se saia do lugar,então é claro que o mais prático, o mais cômodo é permanecer, ficar, continuar ou qualquer outro sinônimo que queira dizer "parado estou, parado ficarei".Confesso ser alguém que demora a se habituar à mudanças,porque exatamente disso?Não sei.Parando pra pensar, refeletir tem tanta coisa nesse país que precisa mudar, não é mesmo?Mas nem por isso todos conseguem tomar essa atitude.Mudanças são sempre más?Acho que não.O simples fato de querer mudar um móvel dentro de sua casa, já é um bom exemplo de mudança, pois se a gente não consegue sequer movimentar um sofá, uma cadeira que acha no lugar errado, que dizer então de mudanças mais bruscas,que envolvam escolhas profissionais,mudança de estilo de vida, sair do marasmo que só traz "minhoca na cabeça"!Acho que sou o próprio exemplo de que mudanças são lentas, graduais, mas devem sim ser feitas.Há mais ou menos 1 mês, fiz uma mudança nos meus cabelos, mas fiz.No começo, até achei que tivesse feito a escolha errada, mas depois mesmo achando isso,pensei:que bom que consegui mudar em algo que parecia tão imóvel, estático..Convenhamos, pelo menos pra nós mulheres:de vez em quando dá uma vontade mesmo de fazer um corte diferente,mudar a cor dos cabelos.E porque não dizer que uma mudança inicialmente feita "só do lado de fora" não transforme um pouco por dentro?
Pode parecer até meio fútil, mas nada como um "banho de cabeleireiro" pra revigorar a auto-estima que talvez possa estar tão baixa quanto a cotação da bolsa de valores(comparação estranha essa,eu diria) fazendo surgir uma mulher cheia de atitude, que luta pelo que quer e melhor que isso, ter o prazer de chegar em casa no fim do dia e dizer com muito gosto: "Hoje eu fiz algo por mim".MUDANÇAS:São sim bem vindas, desde que venham na intenção de ser uma pessoa melhor que ontem, mas que ainda pode ser muito melhor no amanhã.Fui!

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

ReVOLTADA..

Será que hoje acordaram todos contra mim ou fui eu quem acordou pelo avesso?!Hoje fui ao médico saber o porquê dessas benditas marcas de catapora ainda estarem aqui presentes, inclusive fazendo até aniversário.Meu médico me disse que to literalmente à beira de um ataque de nervos, também pudera!Convivendo( por obrigação!) com uma mãe que adora e faz de tudo pra gritar, será que alguém já passou por isso também e como eu teve vontade de fechar os olhos e quando abrisse novamente estivesse num lugar perfeito, onde a gente tivesse independência financeira!?É,literalmente esse blog tá mais pra terapeuta que qualquer outra coisa.Confesso que por enquanto, as crônicas(minhas, aliás!) estão nos planos de entrar por aui, mas por hora, vale mais qualquer desabafo, nem que seja só via web e não recebendo nenhum coment..Acho que a idéia de passar o endereço do blog pros amigos vai ajudar e muita na divulgação, visto que já fazem 3 dias de nascimento do coitadinho e até agora nem um só comentário, nem umzinho,mas não vou desanimar..Usando um pouco do clichê da propaganda da tv: sou brasileira e não desisto nunca.
Considerando o título do post de hoje, além de ReVOLTADA, acho que preciso dar uma RevIRAVOLTA,sair, conhecer outros lugares, outras pessoas,enfim, sair um pouco desse "ninho" de conflitos que virou aqui em casa.Chega de doenças psicossomáticas, termos novos que só servem para significar uma coisa: precisa-se de paz de espírito!Fui!

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Blog:Terapia?

Aqui estou mais uma vez falando sobre a "arte dos blogs"..Poderia o blog ser uma espécie de terapia?Bem, eu acho que sim.Todo dia escrevemos um pouquinho sobre nossas vidas, falamos detalhes interessantes e até os nem tão interessantes assim.Aqueles que vêem esse revelar de segredos acabam de um jeito ou de outro demonstrando sua opinião através dos comentários sobre os posts e dessa forma, dão conselhos, comentam,me diz mesmo se isso não é uma maneira de fazer terapia, sem sair de casa?!Acho que meu blog ainda tá meio "verde", pelo menos em relação aos mais visitados..Fico imaginando o dia em que meu blog correrá por entre e-mails alheios como uma boa maneira de distrair a mente e ler sobre experiências interessantes e diria mais, até trocar experiências parecidas ou não com outras pessoas, que assim como eu, ainda bem que tem o direito de exprimir suas próprias idéias,sem ter que se preocupar com um "Por qué no te callas?!".É,aquele que acabou virando bordão e até toque de celular, acredita?!Claro que a voz do locutor( o ilustríssimo premier espanhol) foi dublada, afinal liberdade de imprensa tem limite né e esse limite é o da cessão de imagem,nesse caso de voz.Vai ficar um pouco desconexo do título original, mas conto agora sobre a época em que se era proibido de exprimir a própria opinião, lá pelos idos de 1964-65, quando a censura e a ditadura mandavam no Brasil e como diria uma propaganda televisiva aí, a gente era proibido até de pensar, se bem que a ditadura ainda continua, um pouco velada, mas ainda presente, em estado latente diria.É,acho que empolgo falando sobre o direito de ter sua pópria opinião, imaginou como deveria ser ruim nessa época de ditadura, quando ainda não existia internet( acho que sequer a vovó da internet existia, a "arpanet"!),que sem graça né?Afinal, parece que quando os meios de comunicação chegam e se "instalam" de vez no cotidiano, é quase impossível se imaginar sem eles.Bem, acho que pra concluir o pensamento de hoje, até ontem não sabia o mistério que rondava a "arte dos blogs".É, acho que agora entendi.Fui!

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Dia de Criação..

É,dessa vez acho que sucumbi à moda dos blogs mesmo..Eita negocinho bom esse de fuçar sobre a vida alheia, não é mesmo?E então, pois que "fuçem" a minha também.Para iniciar esse trabalho de "blogueira" mor, começo falando um pouco sobre essas duas últimas semanas que se passaram.É, passar quase duas semanas de molho em casa por causa de uma doencinha de criança, a qual atende pelo nome de catapora, não é nada fácil meus amigos.Mas,sabe que foi e ainda está sendo uma fase de aprendizado?De como lidar com os problemas cotidianos, vibrar com as pequenas vitórias,rir, chorar( até com cena romântica de televisão, e de novela das 6 ainda por cima,pode?!).Sempre gostei muito de escrever, aliás não sei até hoje como não fiz Jornalismo na Faculdade, não que para ser escritora seja indispensável, acho que escrever tá no sangue mesmo e é uma ótima maneira de esvaziar um pouco do peso que as vezes insistem em ficar nas costas.Acho que pra um primeiro dia de blog,até que me saí bem né?Num sei.Dicas para me ajudar na "arte dos blogs" são bem-vindas.Fui!