domingo, 29 de março de 2009

Remendam-se sonhos...

Remendar sonhos.Seria isso possível? Aqueles que fazemos planos, projetamos para um futuro bem próximo e como num passe de mágica todos se desfazem, e lá vamos nós, refazendo planos, redefinindo metas, avaliando possibilidades,ufaa, cansa não?!É, pra mim também cansa, e como!Talvez a imensidão de caminhos,rumos, idéias, tudo isso me assuste um pouco, eu sempre tão acostumada a esse meu mundinho pré-definido ( ihh, será que tem hífen?!rs), já repleto de caminhos já certos, rotas decoradas na cabeça; quando me deparo com ruas "nunca dantes percorridas" me assombro e dou aquele velho passo para trás, assim como na política de reestabelecimento da economia russa, uma tal de perestroika e glasnost( nossa, esse texto tá cheio de complicação hoje né?), talvez um reflexo do momento que passo atualmente...

Mudar...Ao mesmo tempo que é bom, necessário e é lógico que faz parte de um crescimento do ser humano, mudanças repetinas nunca foram o meu forte...Talvez por sempre ter recebido a maioria das coisas que quis sempre "prontas, feitas" na palma da mão; abrir mais a mão para alcançar sonhos nunca antes desejados cause um sentimento de impotência, de "ah, não vou conseguir,isso é difícil demais","menina, sonha mais baixo"...Sinto-me como uma criança aprendendo a andar, desbravando os perigos do mundo, sempre com receio de encontrar buracos pelo caminho, armadilhas feitas pelas redes do destino incerto, quase sempre me fechando cada vez mais em meu mundinho interior, mundo esse de sonhos, medos e incertezas quanto ao futuro, até mesmo com relação ao presente; e que presente tão repleto de surpresas, que se tornam decepções e voltam a se tornar surpresas..De fato, a vida é mesmo um presente!

Nunca fui uma pessoa de fazer muitos planos para o futuro, para o dia de amanhã, é tanta incerteza quanto ao futuro que acho que sempre preferi viver o hoje. mesmo fazendo de um tudo pra tentar planejar e buscar algo mais; as coisas sempre surgiram pra mim de duas formas: ou sempre chegavam prontas, feitas sob medida ou as oportunidades " caíam de pára-quedas" e como "um raio não cai duas vezes no mesmo lugar", o que eu tinha de fazer era aproveitar mesmo; quase igual a uma história de um filme, estrelado por Jim Carrey, o "Sim Senhor", no qual ele começou de uma hora para outra, a aceitar tudo que lhe era ofertado; quem sabe a solução seja esta: ter o discernimento para aceitar tudo que pode ser de alguma validade, trazendo o sentimento de "sim, pelo menos eu tentei"...Deixo aqui os meus sonhos remendados, e vocês, também tem sonhos remendados? Reconstruam-nos e realizem-nos...
Beijos!

sexta-feira, 6 de março de 2009

Cometa de emoções...

Confesso que tive dúvidas na hora de pensar em um título pra esse post de hoje, mas é de fato como me sinto: um cometa de emoções.O por quê disto? Eu explico.Ultimamente, ando passando por uma fase na qual as emoções vem com a velocidade de um cometa e vão embora com o dobro da velocidade do mesmo..Conheço pessoas, me agrado, vejo coisas em comum, imagino que vai ser tudo as mil maravilhas e quando penso que está dando tudo certo, vem uma avalanche, não sei se de " mau-olhado" , como dizem os simpatizantes pela religião do candomblé e levam tudo embora, como as oferendas feitas pra Iemanjá em Salvador, todo dia 2 de fevereiro...

Detesto, devo dizer em alto e bom som, as pessoas que inicialmente dão valor tremendo e depois, vão sumindo, sem deixar rastro, sei lá se por acaso se decpecionaram com alguma coisa que fizemos, por quê não dizer logo na cara, ser mais sincero, "olha, não gosto que me persiga, não gosto disso e daquilo outro", mas sumir e deixar a gente na dúvida, ah, isso é demais!

Talvez o fantasma da solidão me apavore tanto que quando imagino ter encontrado alguém pra supri-la, o destino vem e me toma, como quem diz:"Menina, deixe de ser apressada, tenha calma, que o que tiver de ser seu, será"..Mas coração e mente parecem não andar no mesmo compasso, um me manda desacelerar, aproveitar, mas o meu quê de racional não quer deixar nada por menos, "não, não aceito isso, tem que ter uma explicação"..Justo eu, que sempre detestei matemática, dando uma de cartesiana, buscando explicação lógica, racional pra tudo, mas enfim, só pra variar: essa sou eu!

Sigo assim, à minha maneira, do meu jeitinho, buscando explicação pra tudo, acho que só assim a cabeça consegue aceitar melhor o que não se pode modificar.Vou ficando por aqui.
Beijos!