domingo, 27 de setembro de 2009

Organizar a casa...

Dia desses um amigo meu veio com essa expressão:"preciso organizar a casa", imediatamente imaginei que ele estivesse querendo mudar os móveis de lugar, afinal não tem paciência no mundo que resista à maldita rotina do dia-a-dia, porém percebi que o que ele quis dizer era no sentido de organizar as próprias ideias e porque não dizer que o nosso corpo é a nossa casa, então talvez por isso planos, metas e quaisquer outros tipos de pensamentos devem ser constantemente organizados, elaborados.Nossa mente, independente se somos ou homem ou mulher acaba se transformando num verdadeiro depósito de papéis velhos, aqueles de conta mesmo, os quais acabamos por acumulá-los por dias, meses e até anos, quando nos damos conta disso, as preocupações também acabam por se acumular.

Acomodação, falta de planejamento e uma boa dose de preguiça podem atrapalhar o bom andamento de nossos planos, como isso acontece? É fácil: misture uma tonelada de aborrecimentos diários,mais uma pitada gigantesca de raiva do chefe que nunca nos compreende e aquela amiga que esqueceu de você em um dia de fúria,pronto, está feita a receita infalível dos últimos tempos, o stress em doses cavalares..Acho que assim como eu, você não está satisfeito com isso, certo?Se existe solução? Claro que existe!

Dica número um: não acumule preocupações, raivas ou qualquer outra espécie de sentimento: o ser humano nasceu com a incrível capacidade de fala-portanto, use-a!

Dica número dois:Deixar para amanhã o que se pode fazer hoje, ou seja, mais uma maneira de continuar com "a casa desorganizada".

Todos sabemos o que é melhor para nós mesmos,talvez um pouco de acomodação atrapalhe,nada que um sentimento de tarefa cumprida não possa virar esse jogo a nosso favor,pois dia proveitoso é sinônimo de mente tranquila, funcionando em perfeita harmonia.

Abraços à todos!

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Tomate: algum dia você já se sentiu assim?

Algum dia você já se sentiu como um tomate? Se pensa que isso é alguma espécie de programa culinário, errou..Nas aulas de ciências, quando ainda éramos crianças, aprendemos que o tomate embora estivesse sempre presente junto a alfaces, cenouras, beterrabas e etc, não se trata de um vegetal, mas sim de uma fruta..Aposto que vocês devem estar se perguntando onde eu quero chegar falando de vegetais, frutas e afins.Eu explico.

Em determinados momentos de nossa vida, ficamos tão habituados ao contexto onde vivemos, tão acostumados à uma realidade que nem sempre nos faz bem, mas que por pura e simples acomodação,nos sentimos "inseridos" naquela realidade e puf! Não tomamos nenhuma atitude pra mudar aquilo, sem perceber que com isso, estamos negando quem realmente somos?E é aí que entra a noção dessa comparação um tanto esdrúxula:nos comportamos como o tomate na salada, pensando que somos verduras pela mais pura e simples falta de coragem de virar a mesa, virar o jogo e assumir quem de fato somos e o que queremos.

Nesses momentos em que nos sentimos aflitos, sem um chão pra pisar, quando nada mais parece estar funcionando em harmonia, o que fazer? Devemos parar, refletir, enfim, ver o que é possível fazer para modificar o que pode ser modificado, é como mudar os móveis da nossa casa de lugar; se vemos que aquela arrumação não está trazendo ordem, serventia para nossas vidas, o que fazemos? Simplesmente mudamos de lugar, parece fácil não é mesmo? E é..Desde que a nossa vontade seja maior que nossa falta de ação..Acho que ainda lembram de um trecho que coloquei em textos passados.Se alguém pensou na palavra confiança, acertou, é isso mesmo - a tal palavra que em por diversas vezes teimamos em esquecer diante do primeiro obstáculo- vem do latim con fides, que siginifica " com fé"; ponha fé em suas atitudes de mudança, elas não existem "à toa",estão aí como um sinal de que a força está em nossas mãos e é claro, em nosso coração.

Abraços à todos!!

domingo, 13 de setembro de 2009

Arranhar a si próprio..

Ontem arranhei-me com as minhas próprias unhas...Nossa, como doeu,era uma dor latejante e parecia doer mais ainda pois tinha sido eu mesma quem cometeu o "ato"..Já perceberam que muitas vezes em nossas vidas arranhamos a nós mesmos?Nas vezes em que não fazemos o que nosso coração manda, nos arranhamos; quando não dizemos aquela pessoa o quanto gostamos dela ou mesmo o quanto ela nos feriu, estamos nos arranhando..

Porém, há momentos em que precisamos recolher nossas garras, refletir sobre as palavras ditas e é claro, sobre as não ditas, estas são a flecha que ainda não foi lançada, podendo ter um rumo diferente e quem sabe até não atingir em cheio o coração daqueles que tanto amamos...Já me arranhei por várias vezes na vida; devo confessar, é preciso muita coragem para assumir isso, pois raramente assumimos nossas falhas.

Auto-sabotagem.Esse é outro nome para o ato de arranharmos a nós mesmos.É quando fazemos escolhas unicamente com a intenção de agradar outras pessoas e não a quem mais importa, a nós e não se trata de egoísmo, falta de consciência ou qualquer outro nome que queiram dar a isso, mas sim de respeitar quem somos.

Pode parecer meio fútil o comentário a seguir, mas pessoas que se vestem seguindo moda de TV ou seja lá o "modelo ideal" que for,essas também estão constantemente, se arranhando,é claro que é possível utilizar coisas sem querer parecer outra pessoa,porém até o tipo de personalidade, volátil, é claro, muda de acordo com o vestuário utilizado; hoje se preocupam mais com o "ter" que com o "ser", reflexo do capitalismo que engessa nossas mentes e ideias.Um conselho: não se arranhem mais, devemos mostrar quem de fato somos, assim criaremos pessoas e não apenas robôs, como em uma mera linha de montagem...

Até mais!

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Cores: imagem de quem somos...

As cores são peça fundamental no desenrolar de nossas vidas..Não, não se trata de nenhum texto querendo relembrar as áureas épocas de nossa vida, a infância, na qual todos aprendemos a diferenciá-las e até a misturá-las para descobrir novas tonalidades..Hoje,por exemplo, acordei com a energia meio em baixa, então o amarelo foi o escolhido..Engraçado ter escolhido justo essa,pois há tempos atrás,não podia nem ouvir falar em amarelo, eu simplesmente o detestava,achava que "chamava atenção demais";porém de onde menos esperava surgiu algo diferente.

Descobri que a cor amarela nos traz energia, quando nos sentimos sem energia pra realizar atividades mais dinâmicas é ele quem reaviva nossas ideias( sem acento, pois seguimos as novas regras gramaticais à risca!),nos faz ver que a vida segue seu curso, as vezes meio vagarosa,as vezes um pouco mais rápida.Será que alguém aí pensou em alguma "amizade amarela"?Podem estar se perguntando o que diabos é amizade amarela , amizade por acaso tem cor?Pois eu digo que sim,pode apostar...

Sabe aquela pessoa que te deixa pra cima, levantando seu astral quando você pensa que não há mais jeito pra nada, tudo é tão imutável quanto o tempo de outrora?Essa é a amizade vermelha,sempre tão vibrante, nada pode abalar, mas é preciso cuidado: a mistura de muita energia pode ser explosiva,portanto, cuidado nas "doses",uma pitada já é mais do que suficiente.

Não há nada melhor que conversar com alguém sempre animado, sempre pra cima, certo?Errado.Existe sim algo melhor que isso: alguém que saiba te dar esperança de dias melhores; acho que alguém, pelo velho clichê de sempre, já deve ter adivinhado a qual cor me refiro,se falou verde, acertou;é verde sim,são verdadeiros trevinhos de quatro folhas( olha o patuá aí gente!),nos fazem acreditar de toda maneira que, se as coisas ainda não estão bem é porque a batalha ainda não foi decidida,acreditam que o melhor sempre está por vir...

Existem pessoas que passam uma áurea de tranquilidade,até mesmo no modo de falar, a voz mansa, tudo funciona em uma velocidade um pouco mais baixa que o habitual,acho que alguém pensou em branco, se pensou, errou meu caro..Pois estou falando da amizade azul , afinal quem não tem aquele amigo sempre tranquilo, o qual nada pode abalar, devo confessar que às vezes falta um pouco de paciência pra esse especificamente, afinal é como diz o velho ditado:"pés de barro e estátua de bronze",traduzindo: momentos de fúria todos nós temos, pelo menos uma vez na vida.

Segurança, sobriedade.Esses são os adjetivos principais daqueles que se consideram prontos pra qualquer desafio sem muito alvoroço, aquela pressa toda.Essa é a amizade de cor preta.Podem estar aí imaginando:Nossa, mas ela foi escolher logo preto; deve ser aquela pessoa que nos puxa pra baixo, sempre com ideias negativas,devo confessar que pode ser que sim, afinal todos as cores, dependendo de sua "posologia" podem nos fazer bem ou mal, aliás, como tudo na vida, não é mesmo pessoas?!Nesse caso, me reporto às pessoas tão seguras de si que a cor preta já basta,não é necessário passar qualquer outro tipo de imagem,aposto que já pensou em alguém, não é mesmo?!

Depois de ter passado por um verdadeiro "arco-íris de personalidades",chega a vez daquele amigo que agrega um pouquinho de cada uma dessas cores,mas quando se depara com algum problema, sabe parar, pensar e refletir com a maior clareza sobre a melhor solução a ser tomada, com uma pitada de neutralidade, característica a qual nos fazem mais racionais diante de coisas tão emocionais,mas afinal, que cor seria essa amizade?Qual seria o "amigo ideal" , já que agrega todas as outras qualidades?Para resolvermos nossos problemas,precisamos de paz de espírito, correto?Alguém aí já "matou a charada"?Respondeu branco? Pois bem, acertou.Uma última pergunta: existe amizade ideal? E eu respondo que sim, a VERDADEIRA, genuína, essa tem até modo de usar: misture uma pitada de cada cor e então encontrarás um amigo..

Ate a próxima!