terça-feira, 8 de março de 2011

Mergulho Profundo...

Carnaval quase no fim,resolvi postar hoje...E então,estão aproveitando os últimos minutos de "folga"?!Espero que sim...

Numa terça-feira "gorda" de carnaval, época na qual milhares de brasileiros aproveitam para não pensar em nada,esquecer dos problemas, da conta que já passou do dia do vencimento,cá estou,pegando a contramão(pra variar!),o caminho inverso...Tirei o dia para avaliar o que se passa,quais os próximos projetos...Engraçado que ao acessar a rede mundial de computadores,acabei acessando os mesmos sites de sempre,incluem-se aí redes sociais-afinal,não posso fazer propaganda,certo?Caixa de e-mail?Não,nenhuma mensagem nova...E o que dizer dos sites de "notícias"?Nenhuma notícia que espantasse além do normal..Enfim, visitei as mesmas coisas,fiz os mesmos "passeios virtuais",tudo isso para não ter tempo de pensar em mim mesma..Curioso isso,não?
Boa parte das pessoas "sobreviventes" dessa maré virtual que quase nos engole diariamente tem a séria mania de "perder tempo" em frente ao computador fazendo o que?Nada..É o tal do ócio,que de criativo,não tem é nada..A razão para isso?Medo,pura e simplesmente medo...Algum desavisado aí deve ter pensado:"É,acho que ela não está nada bem"...Prontos?
As coisas estão imediatistas à tal ponto que nem bem acordamos,a primeira reação é "correr" pra tela do computador...Foi-se o tempo em que dar bom dia, abrir um livro ou mesmo admirar um dia bonito de sol era importante...O simples fato de abrir os olhos já seria motivo de comemoração,certo?Talvez soe um pouco nostálgico,piegas ou qualquer outro adjetivo que queiram dar a isso,mas mergulhar em nós mesmos nunca foi tão complicado,estar sozinho se tornou uma verdadeira tortura,já que o individualismo impera nos dias de hoje..
De fato, a tecnologia não nos permite estar sozinhos:sites de relacionamento, conversas on line em tempo real,aquele e-mail de trabalho que você ainda "não teve tempo" de responder..Acho que já é hora de desligar o controle da tv,certo?Bom mergulho!!!
Abraços à todos!!

4 comentários:

Felipe Sá Cardoso disse...

O melhor de cada "mergulho profundo" destes, é quando resolvemos voltar à superfície e podermos perceber que cada minuto dessa imersão, fez com que nos tornássemos melhores ou ao menos revigorados, a ponto de darmos bom dia, admirarmos um dia de sol (ou chuva, pq não) e finalmente desligarmos os cabos do mundo virtual e voltarmos para tudo o que o mundo real pode oferecer: beijos, abraços, olhos nos olhos, calor humano, etc, etc, etc...

Mak34 disse...

Pois é, a doce ilusão do mundo virtual...não a ilusão de se estar só, distante, mas a ilusão de não se estar com e para o Outro.
Se o Outro é uma necessidade deliciosamente insuportável, o mundo virtual parece ter chegado para resolver(?) o problema(?). Estamos ligados ao mundo inteiro, embora sem contato real com ninguém... incógnitas, um nome apenas ou um "nickname" ao acaso, simplesmente virtuais... Não tem mesmo jeito, sem o Outro não há o Nós, e sem o Nós como dar vida ao Eu, se o Outro é quem reverbera aquilo que nos faz existir como um Ser...
Ah, o insuportável Outro, tão importante que preferimos mantê-lo na virtualidade para não perdê-lo na verdade, e assim também não se perder de si mesmo.

Sérgio Moab Amorim de Albuquerque disse...

Pois é, a doce ilusão do mundo virtual...não a ilusão de se estar só, distante, mas a ilusão de não se estar com e para o Outro.
Se o Outro é uma necessidade deliciosamente insuportável, o mundo virtual parece ter chegado para resolver(?) o problema(?). Estamos ligados ao mundo inteiro, embora sem contato real com ninguém... incógnitas, um nome apenas ou um "nickname" ao acaso, simplesmente virtuais... Não tem mesmo jeito, sem o Outro não há o Nós, e sem o Nós como dar vida ao Eu, se o Outro é quem reverbera aquilo que nos faz existir como um Ser...
Ah, o insuportável Outro, tão importante que preferimos mantê-lo na virtualidade para não perdê-lo na verdade, e assim também não se perder de si mesmo.

edumaquesk9 disse...

Mergulho profundo, é um termo bom para se komentar, não estranhe esse k é como comento no meu blog, esse mergulho profundo é meio freudiano, a velha questão do eu interior ou do nós e o mundo e o ser e o tempo,de martin heidegger, a coisas importantes e simples , coisas belas, porém de tão próximas que não percebemos a sua beleza, pois como vc diz já acordamos,pela manhã e somos bombardeados com noticias do mundo virtual, noticias e informações de todos os lados, e não nos damos conta das coisa belas e simples,um exemplo; o que seria do amor, se não podemos trocar olhares e tocarmos na pessoa amada, dizer palavras ao pé do ouvido, trocar carícias, trocar idéias deitados a sombra de uma arvore,caminhar na chuva, isso é viver, e o amor não seria nada ! viver não cansa , a distancia pode ser diminuída com a internet, mas o contato físico,ainda é primordial, é o que nos faz ser chamados de seres humanos ! um abraço lud .