sábado, 11 de outubro de 2008

After all this time...here i am.../Recomeçando do ponto de onde parei...

Bem, depois de mais de uma semana adiando essa minha volta aos meus escritos, cá estou..Começo o post de hoje com um exemplo tirado da própria experiência de ter adiado mais de uma semana essa minha volta...O que faz um ser humano começar, criar novas metas, novos rumos e não mais que de repente, achar que nada tem jeito e simplesmente, desistir;achar que tudo está "muito difícil"?Passei todos esses dias pensando no que iria escrever e cheguei à conclusão de que também estou incluída no hall desses "faz-e-desfaz-de-planos",estamos sempre pensando no que podemos melhorar no que de novo poderíamos fazer e por medo, insegurança, não o fazemos...Acho até que já perdi a conta de quantas vezes eu fiz e desfiz planos:"bom, eu acho que esse ano vou me mudar pra França"-resultado: plano desfeito;resposta:"não levo o mínimo jeito com crianças"..

No começo do ano saí distribuindo meu Curriculum para meio mundo de escolas de inglês, afinal, sempre gostei do idioma e já havia ingressado no tal do "caminho-sem-volta" daqueles que começam na prática do ensino,logo eu, que passei a vida inteira criticando minha mãe por ela ser professora, nessa rotina incessante de trabalho,enfim, acabei "pagando com a própria língua", não é mesmo?!

Algo que aconteceu essa semana e que foi justamente o que me chamou a atenção para esse assunto,o de começar e desistir, foi a saída de uma aluna minha do curso de francês que ensino às segundas-feiras.Não mais que de repente,ela se irritou,pois havia faltado duas aulas seguidas e se sentiu meio "perdida"( afinal, a língua de Voltaire não é nada fácil, principalmente para a nossa nação tupiniquim),pegou seus pertences e saiu de sala, num arroubo de desespero, fiquei muito chateada, pensei..Será que a culpa foi minha,será que fiz algo de errado?

Nessas horas é que se percebe o quanto é frágil a tal auto-confiança que achava que tivesse adquirido,certamente ainda tenho muito o que aprender, muito o que amadurecer eu diria até..Mas enfim, muitas coisas diferentes vem acontecendo...comecei à dar aulas de inglês, idioma o qual sempre estudei, desde criancinha e pasmem, comecei à gostar desse " negócio" de ensinar,porém me sinto insegura em determinados momentos: penso que posso estar errando em alguma coisa,não sei..Resquícios de uma infância na qual recebia mais pancadas do que estímulos..

Retomando o assunto que deu razão à essa minha volta repentina a meu blog: que vontade que estou de ir me embora de Maceió...conhecer novos ares, novas pessoas,mas...e o velho MAS sempre me atrapalhando, sempre como a tal "pedra no meio do caminho", nas palavras de Manuel Bandeira..Rio de Janeiro: essa se traduz como a minha mais nova meta,um lugar grande, conhecido por suas belezas naturais, porém crescente violência..É como se fóssemos reféns de nossas próprias escolhas,sempre pesando prós e contras, chegando a pesá-los tanto que o medo do fracasso nos impede de continuar caminhando para a frente e nos sentimos dando voltas e mais voltas,reclusos em meio ao receio de conseqüências inesperadas..

O pensamento:"Será que se eu errar, se não der certo, será que posso voltar e recomeçar tudo de novo, do "zero"?Nos dias de hoje é tudo muito prático: não gostou?troca.Veio com defeito a mercadoria?Devolve.É tudo tão fácil, tão rápido..Mas onde foi parar o TEMPO?Tempo para conversar com os amigos, saber da vida..Nos deparamos com uma série de mudanças de valores: só aquele que tem mais dinheiro, mais condições,até os padrões de beleza;não existem mais padrões, o mais correto é imitar o cabelo da atriz da novela das 8, a magreza da modelo que desfila nas passarelas..E onde está o padrão principal, o da saúde??Diria mais, o da felicidade..

Feliz é aquele que tem o carro da moda,o figurino da televisão..quem não tem?Martiriza-se, espreme a última gota de esperança numa falsa noção de felicidade, a externa..Pra mim, ser feliz,é de fato estar conhecendo pessoas novas,novos lugares,fazer algo que me realize como pessoa e também para com o mundo..Ah, farei o possível para voltar aqui o mais cedo possível..quando voltarei?palavra difícil de ter um sentido plausível..melhor dizer: até sempre..

Ludmila.

Nenhum comentário: