segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Confiança: cristal fino..

É, parece que a confiança, esse amigo de todas as horas é também um dos mais fáceis de serem quebrados: parece cristal finíssimo, aqueles "baccarat" mesmo...Depois de ter feito com tanto trabalho esse texto, parece que nem a página do blogger.com está me entendendo:estou tendo que recomeçar todo esse texto, do zero, assim como eu tinha falado no outro que a confiança parece um daqueles carrinhos de roda gigante, mais precisamente a roda gigante da vida, na qual cada carrinho traz um sentimento: felicidade, raiva, tristeza, ressentimento, amizade, alegria de viver; mas e se por um triste acaso, a vida faz parar o carrinho que mais precisa estar em constante movimento: o da confiança...

É, esse é bem mais complicado: construímos achando que ela tem a força de uma rocha antiga e não mais que de repente, ela se quebra, como um fino cristal após uma queda,é como se cada vez que passa-se a mão nas partes trincadas da taça de cristal, arranha a mão,reabre a ferida que achava que tinha fechado com a linha e agulhas do tempo..Por falar em quedas, como elas doem,machucam, parece que não temos mais forças para nos levantar; o cristal da confiança parece que se quebrou em caquinhos: seria possível reconstruí-los?

Aliás, palavra difícil essa: RECONSTRUIR,REFAZER, RECOMEÇAR...Parece que todas elas, em algum momento de nossa vida, alcançam o mesmo sentido: começar do ponto de onde paramos, de onde "caímos"...A questão é que o ser humano está muito mais habituado à continuar um projeto, seguir em frente, é como se em cada tropeço que damos, o corpo cansa, dá uma certa "preguiça" em começar "tudo de novo"...Mas existe um só detalhe que faz toda a diferença: e se , ao quebrar o cristal, sobrar aquela parte mais dura: a base, aquela que se faz presente como alicerce, como estrutura.Se pararmos pra pensar, a estrutura é quem faz algo permanecer, continuar, perdurar...

O cristal da confiança se quebrou? Refaça-o, reconstrua-o, à partir de sua base, eu to tentando fazer isso, mas confesso viu, é uma tarefa bastante árdua,dá um cansaço, uma vontade de desistir, mas vamos em frente, se parar, o resto dos outros carrinhos, tão importantes ficam parados, sem uso...Faça-os se mexer: estou tentando reconstruir o cristal de onde ele se quebrou, já que a base se manteve intacta; começo do ponto de onde parei, aliás, recomeço;colocando um novo corpo na taça da confiança, com muita mais força, mais veracidade..O carrinho da confiança ganha assim um prêmio extra: o da sinceridade,junto com mais outro, o da honestidade e um dos principais: o da honestidade, irmã-gêmea do caráter,tão importante nesse mundo desumano, cruel,ah, quase ia me esquecendo de um dos carrinhos mais importantes: o da esperança...Pense nisso!

Um beijo,

Ludmila.

Um comentário:

tisdalex disse...

hii,
sou eu larissa do yazigi;
gostei muito do blog mas uma fotinha nuca faz mal mesmo assim tá muuuuito legal.
bjn bjn