terça-feira, 2 de novembro de 2010

O dia em que senti de tudo um pouco...

Tenho um amigo seguidor desse blog que adora fazer comentários sobre o que escrevo...Uma de suas ideias preferidas é dizer que o medo impede o ser humano de viver...Mas o que seria de nós se não fosse o mesmo?Sinto muito caríssimo, definitivamente discordo de suas palavras,embora respeite- as com a força delas mesmas...O medo faz parte da natureza humana, nos acompanha em diversos momentos cruciais de nossas vidas e nos auxilia em nossa sobrevivência, sim, é verdade!

Dia desses vi uma máxima pela rede mundial de computadores( sim, essa pela qual vocês tem acesso às minhas divagações):"Se você nunca sentiu medo, vergonha ou dor é porque nunca correu riscos"..A simples conclusão é de que somente a raça humana pode traduzir, transcrever as experiências em sentimentos variados, tais como raiva,medo, tristeza, revolta, etc...Os animais irracionais não tem essa dádiva, possuem unicamente o instinto de sobrevivência e perpetuação da espécie, o interesse é deixar sua marca na terra...Fala sério!Qual é a graça de passar pela terra sem sentir nada?!Calma para os defensores dos bichinhos e plantinhas: não pretendo dizimar passarinhos, baleias e os poucos ursos polares que ainda restam no globo...

A marca de que estamos de fato vivendo é justamente o fato de que cada dia nunca vai ser igual ao anterior,embora muitas vezes a rotina parece nos perseguir:acordar, enfrentar o engarrafamento nosso de cada dia, levar o filho na escola e de repente, lembrar que ele esqueceu de trazer a pesquisa que a professora pediu..."Ah menino, vai me fazer perder tempo!"E assim, aparece a raiva...Chega dezembro, apresentação de Natal:"Filho, que coisa linda,vamos comemorar esse dia!"- assim aparece a alegria, o contentamento de ver que tempo também nos dá bons frutos...

Temos pés, mãos, cérebro e coração...Cada um deles tem o seu papel relevante na hora de tomar decisões, o problema é quando deixamos que só o medo tome a frente e nos impeça de agir, deixando os outros sentimentos "de ação", se sintam "sufocados"...E por falar em sufocar, termino esse texto com as palavras do grande Luís Fernando Veríssimo:"Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar...Desconfie do destino e acredite em você...Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando, porque embora quem QUASE VIVE ESTEJA VIVO,QUEM QUASE VIVE JÁ MORREU!"...Que tal sairmos do quase?!

Abraços à todos!!

6 comentários:

Luan Gustavo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luan Gustavo disse...

Como prometido, aqui vai :D ....

Muito bom texto :), concordo que o medo faz parte da vida, não existe quem não tenha medo (muito embora existam pessoas que não admitem isso, ou seja, pessoas que têm "medo" de ter medo engraçado não? rsrsrs), e concordo também que nós não podemos deixar que o medo por mais "importante" que seja para a "sobrevivência" do ser humano tome dimensões maiores que o que realmente era pra ter, e assim comece a atrapalhar a nossa vida, ou como você colocou, comece a sufocar os outros sentimentos tão importantes ou mais que o tal do medo!!!

rsrsrs, viajei d+ não foi não? esse meu comentário sim ficou bagunçado, e não o seu outro post.. espero que tenha saido alguma coisa "inteligente" disso que eu escrevi :P

Flor de Lótus disse...

Gostei do seu texto..... Quem de nós nunca sentiu medo??Há os que se deixam levar pela insegurança e param no tempo...outras,apesar do medo, abrem trilhas .....

L. Gustavo Carvalho disse...

O medo é o que nos mantém vivos. Sem ele, a imprudência reinaria. O problema existe quando ele nos domina. Nós é que precisamos dominá-lo. Não podemos deixar que ele nos impeça de viver experiências únicas. É preciso sair da zona de conforto. Bjo grande!

Rolando disse...

oi. estive por aqui. muito bom. só um comentário: os animais irracionais os bichinhos também têm medo. O medo é um instinto natural de todos os seres vivos. não só do ser racional. apareça por lá. abraços.

Denver disse...

"Se você nunca sentiu medo, vergonha ou dor é porque nunca correu riscos" Traduzindo, "É porque nunca viveu, vegetou". Como você se baseou no meu lema pra escrever esse post, entao te explico com a frase que você colocou no mesmo, de Luís Fernando Veríssimo, "Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar...Desconfie do destino e acredite em você...Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando, porque embora quem QUASE VIVE ESTEJA VIVO,QUEM QUASE VIVE JÁ MORREU!". Se resumia a isso. Mas valeu pelo post, agora vou especificar, no caso, MODIFICAR meu ditadinho q adoro tanto, de "quem tem medo nao vive", para "Quem se prende ao medo, nao vive" hehehehe... Bjos Lud, boa postagem!