terça-feira, 31 de agosto de 2010

Ventos de um amanhã sem fim...

É, acabei de chegar em casa...Estamos vivendo dias cada vez mais instantâneos...E qual não foi minha surpresa, em meio ao último dia do mês de agosto( ufa, até que enfim!) uma ventania daquelas me atrapalha um pouco, afinal qual é a mulher que não xinga até a vigésima geração quando o menino ligeiro chamado vento arranca todos os nossos fios de cabelos rigorosamente arrumados e condicionados à não sair do lugar? Comecei a perceber que lutar contra esse inimigo poderoso- nesse exato momento- não era a melhor saída e então pensei:"Que tal me aliar a ele?"..E foi o que fiz..Deixei que levasse meus cabelos e não é que a sensação era boa?!

Por tantas vezes lutamos contra os impropérios que a vida nos traz, achando que tudo veio "para atrapalhar" ou simplesmente sair por um mísero minuto da rotina que nos cerca pode tirar tudo dos eixos..E quem sabe se esses mesmos eixos fossem um pouco mais maleáveis?Assim como a vara de bambu, aquela que se dobra,seguindo o sabor do nosso "amigo" vento, mas não se quebra..As pequenas mudanças se iniciam à partir do momento que nos tornamos incomodados com a mesmice do dia-a-dia e começam os questionamentos:"Que tal se cortar meu cabelo?",mudar um pouco o estilo de se vestir...

Nesse momento, vem algum engraçadinho, "metido à analista" e diz:"Mas se você começar a mudar demais, vai deixar de ser quem é e se transformar em outra pessoa..Teoria mais sem fundamento essa,não acham?!Quando confiamos em nós mesmos, sabemos quem somos e quem disse que o ser humano não é passível de mudanças diárias?Obiviamente que é muito mais fácil, mais cômodo se continuarmos do mesmo jeito que estamos, acordando no mesmo horário, até os mesmos movimentos, como calçar primeiro o pé esquerdo, usar o cabelo penteado da mesma maneira..Acho que alguém aí procurou um espelho para se olhar não é mesmo?!Falem a verdade..Risos...

Por mais mudanças que façamos, sejam elas pequenas ou drásticas, do estilo cortar dois centímetros de cabelo e esperar que todos percebam e comentem como está bonito o seu novo "corte" ou ainda passar de morena jambo à ruiva da cor de fogo-parece um pouco fútil, superficial, não acham?Mudanças externas são o primeiro passo para as internas, acredito mesmo nisso..Até deixei que o traquina do menino vento bagunçasse meu cabelo e até achei bom..Bagunçar..E arrumar tudo de novo..Ô vida danada,parece um vendaval de transformações..ainda bem!!

Abraços à todos!!

2 comentários:

Marcelo disse...

...e se teu amigo vento não te procurar
É porque multidões ele foi arrastar
Devorando árvores, pensamentos
Seguindo a linha
Do que foi escrito pelo mesmo lábio
Tão furioso ...
Zé Ramalho - eternas ondas

nada a ver com o texto... mas lembrei agora.. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Boa música né moça?

Gil disse...

Não corte os cabelos pois talvez ele não venha mais te visitar ou até mesmo dependendo do seu estado no dia te aborrecer mas pelo que vi vc tira coisas das adiversidades. Adorei o texto parabéns gil