segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Colcha de Retalhos..

Sabe aquele dia que você não sabe do que exatamente falar?E acaba falando um pouqinho de cada coisa?Pois bem, o dia então é hoje..E cada pouquinho que fala vai construindo uma História, a sua história.Depois de ter passado da fase de lagarta, de bicho da seda,pupa( sei lá mais o q é isso, acho que vi em Ciências..to ficando velha mesmo!) e finalmente, borboleta, é, fica uma versão assim meio poética pra explicar algumas semanas atrás.A borboleta tá tentando, aos poucos, sair, dar os primeiros vôos em busca de seu próprio caminho, tá complicando as coisas um pouco além do normal, mas pode fazer isso.Um outro assunto interessante à ser falado é o simples fato das pessoas banalizarem tanto a violência.Cheguei a me indignar vendo um noticiário ontem pela tv onde uma moradora de um bairro nobre do Rio "rir" da atuação da Polícia, ao comentar que enquanto eles detinham um assalto, outro acontecia ao mesmo tempo, à 100,200 m dali,como isso é possível?Simples.Acredita-se que é uma situação imutável, não há como encontrar uma solução à longo prazo.E como será possível conseguir viver em uma praça de guerra na qual se transformou a cidade do Rio de Janeiro?É, muita coisa tem de mudar nesse país mesmo, à começar pela percepção do conceito de violência, que não é o estado normal das coisas.Um assuntinho interessante, pra amenizar um pouco o estilo blog-revolta de hoje:coração..eita assuntinho complicado.Acho mesmo que to precisando gostar "de verdade" de alguém e o fato é que não acho certo estar com uma pessoa só pra agradar a quem quer que seja, tomara que não seja só eu quem pense assim.Duas são as vantagens, aliás, dos dois lados da moeda, sempre se enxerga o lado bom e o ruim: o bom é que é sempre bom ter alguém perto, que faça seu coração bater mais rápido e mais lento ao mesmo tempo( parece frase de filme né?!), que vire tudo "de cabeça pra baixo", mas o lado opossto é que também é bom o coração ficar quietinho,sem criar falsas expectativas.Mas não seria um pouco de falta de coragem não se deixar aventurar um pouco, quando se sente o coração "bater mais depressa", diria mais, até um pouco de acomodação mesmo..Amor não explica, não se mede, ele simplesmente acontece, cabe a nós permitir que ele entre, sem epdir licença e preenchendo a vida de mais alegria,esperança de dias melhores nesse mundo tão louco e ao mesmo tempo, tão maravilhoso.Que o dia de hoje seja melhor pra O QUE MAIS INTERESSA NO MUNDO: conservar a Vida,em todas as suas medidas.

Nenhum comentário: