quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Tipos de Amor...

Ontem estava eu assistindo à novela "duas caras" quando um detalhe me chamou muito a atenção:será que o amor é capaz de modificar o caráter de uma pessoa, a qual antes era conhecida como a mais desocupada das criaturas?Não sei se isso acontece na realidade mesmo, mas parece que na novela está acontecendo..E logo depois da novela, entrou " em cena" o filme "CLOSER", mostrando então outro tipo de amor: aquele que a gente nunca espera que aconteça, acredita que encontrou a pessoa que irá nos acompanhar pro resto da vida,ou seja: a "flecha" do amor nos acertou em cheio e sem direito à querer voltar no tempo.Afinal, qual desses seria o amor mais justo, mais correto?A mocinha do filme, corrigindo, as "mocinhas" do filme acabam em certo momento "trocando" de parceiros,ou seja, invertendo algo que seria uma ordem "natural" das coisas: conhecer aquela pessoa que a gente jura que não existe, ou melhor, que só existe em novela ou até em filme mesmo..E então, qual seria a melhor escolha, o amor que começa mentindo como no caso da novela ou aquele mais sincero,como no caso do filme,ô perguntinha difícil essa de se responder..Aliás, uma ótima observação acerca do assunto"amor" é que talvez eu esteja fazendo a MAIOR ASNEIRA DO MUNDO, a qual é tentar achar uma explicação lógica,plausível ou seja lá qualquer outro adjetivo que designe lógica pra um assuntinho complicado feito esse.Falar a verdade, não tenho a mínima noção do que se passa na cabeça de uma pessoa que está apaixonada,uns pensam que é certo mentir no começo e fazer um certo "tipo" para agradar aquela pessoa,outros acham certo contar aquela mentirinha só pra conseguir pular uma etapa e conseguir logo o coração daquele ou daquela que acham ser "o amor de suas vidas",a verdade pra mim é que pra gostar de alguém, é preciso ou pelo menos justo consigo,conseguir a proeza de um simples detalhe: ser você mesmo.o tempo inteiro, independente de quem esteja na sua companhia e essa outra pessoa gostar de você exatamente do jeitinho que você,seja extrovertido(a), calmo(a),timido(a) e qualquer outro adjetivo aí, seja ele bom ou ruim, mas só uma observação: no caso dos ruins, acho que não custaria nada tentar fazer essa pessoa enxergar que aquele não é o melhor caminho.Só mais uma coisinha que acabei de me lembrar:"ser feliz só depende da gente mesmo,pois colocar toda uma responsabilidade de conseguir "ser feliz" através de outra pessoa não seria justo"..Pode até ser meio clichê de texto de auto-ajuda o que to falando, mas com certeza dá mais paz de espírito nesse mundo tão maluco e ajuda a ninguém sair por aí cometendo sandice em nome do "AMOR"..

Nenhum comentário: